Os pecados capitais

Postado por Thiago de Paula On 12:13

Bom, ao final de uma semana e 5 posts (se não me engano) sinto-me satisfeito e feliz pelo andamento das coisas. Reguei uma semente que brotou e certamente plantei várias outras em solo fértil.
Confesso que meu ultimo post foi demasiado sentimento, na verdade quase não o termino por isso. No auge do sentimento, no breve momento em que este se tornou palavra, um orgasmo, o êxtase, o parto de uma frase que me fez sorrir: A beleza de ser humano é ser um a cada momento e o mesmo eternamente. Como já foi dito aqui, "Ah, o ser humano!". Esta frase me fez sorrir porque há muito não falava da beleza com tanta certeza e de forma tão profunda, o mundo até então se mostrava escuro, não se via tamanha beleza. A beleza essencial, sem raça, sem cor, sem nacionalidade, sem sexo, a beleza de ser humano. E por ter encontrado tamanha beleza, que poderia chamar de crua, trago como tema da semana "Os pecados Capitais".
Contraditório? Vejamos... pra que serve de fato esta lei que proíbe certas atitudes? Ora, proíbe o "improibível", veta seu instinto, o que há de mais puro e inocente no ser, sua essência animal, feroz, destemida, bela, tranqüila e solitária. E o que há de belo nisso? Tudo! O ser humano lutando contra tudo que é seu, lutando contra sua origem, contra seu caráter, contra seus sentimentos. A força bruta que o ser humano possui de se privar de si, de anular seus sentimentos, de ir contra sua vontade. Isso nos faz humanos.
Bom, sem mais delongas e sem dar créditos a crentes ou ateus, darei minha opinião a respeito de cada um destes pecados merecedores de punição, hoje começando pela avareza.
De acordo com o Aurélio, Avareza significa apego sórdido ao dinheiro. Eu diria que é apego a tudo aquilo que de alguma forma tem grande valor. Enfim, quem sou eu pra discutir com o "Tio Aurélio"? O que vale dizer é que no fundo este pecado refere-se a um medo, o medo da perda de algo valioso. Trata-se também da supervalorização dos bens materiais e da posse.
Tudo a que se refere este pecado é natural do ser humano e de qualquer outro animal, o medo da perda por exemplo, a posse é segurança e a insegurança é indesejada. Qualquer animal deseja a segurança para si e para aqueles que o cercam, para nós, seres humanos, a segurança está diretamente relacionada à posse de bens materiais, o que não tem valor para a maior parte dos animais. Em compensação o castor dá a vida por seu abrigo, 100 Pai nossos e 200 Ave Marias para cada castor que defender a segurança do seu lar, e o dobro para aquele que for precavido e fizer dois abrigos.
Brincadeiras a parte, o que não podemos - e é o que acredito sobre este pecado - é supervalorizar nossos bens. Acredito que devemos prezar a posse de sentimentos, de conhecimento, de paz, da liberdade ... e quanto a isso ser sim avarento, sem esquecer que tudo de mais faz mal.

9 comentários

  1. sebbenemille Said,

    Ainda não consigo escrever exatamente sobre o que achei dos seus textos.Só posso dizer que são sensacionais, críticos, e quase música para meus ouvidos.São tão verdadeiros que me fazem pensar no exato momento em que você os está escrevendo.
    Espero que eles continuem frequentes, e assim que tiver um tempo, vou te mandar um assunto ótimo pra refletir.
    Beeeeeeeejo
    Amanda =]

    Posted on terça-feira, 30 setembro, 2008

     
  2. Silvinha Said,

    Se eu te disser que eu estive pensando neste MESMO tema, tu vai achar demais?
    Só te digo uma coisa: TÔ OCRE (nem bege é mais)! Pronto, agora sim vou ler o seu post. Hahahaha.

    Posted on terça-feira, 30 setembro, 2008

     
  3. Nega Said,

    É tu mesmo, que escreve essas coisas? eu sei que sim besta!
    parabéns!! tu sabe, que eu sempre confiei muito no seu talento e mais do que isso, vc tem meu total apoio em TUDO!

    Posted on terça-feira, 30 setembro, 2008

     
  4. Robson Said,

    que o diga o apocrifo dos apocrifos
    o grande paradoxo entre ser avarento às coisas mais do que aos sentimentos, talvez encontre uma janela aberta no sentido mais lato da palavra...
    a janela da importancia!
    ser avarento em sentimentos e emocoes torna paradoxal em levar isso em conta como um pecado!
    amar em demasia, dizem ser tao prejudicial quanto odiar em conta-gotas.
    talvez porque precisamos estar sempre pecando, talvez porque precisamos ter um pouco de culpa retroativa
    mais do que tudo isso, nos deparamos com a multiinterpretacao das palavras
    avareza, sexo, amor...
    quem é criacao de quem?

    Posted on quarta-feira, 01 outubro, 2008

     
  5. Andréa Zílio Said,

    Intimistas, mas onde todos se vêem... despojados, criativos, soltos, leves, livres, ousados, sensatos. Seus textos são uma brisa no rosto em dia de forte calor. Adorei!
    Beijos e te amo!

    Posted on quarta-feira, 01 outubro, 2008

     
  6. Tentaria comentar sobre o seu post, porém não teria mais efeito do que um trecho do poema "Song of myself", de Walt Whitman (poeta norte-americano), escrito há mais de 150 anos atrás:
    "Eu penso que poderia retornar e viver com animais, tão plácidos e autocontidos; eu paro e me ponho a observá-los longamente. Eles não se exaurem e gemem sobre a sua condição; eles não se deitam despertos no escuro e choram pelos seus pecados; eles não me deixam nauseado discutindo o seu dever perante Deus. Nenhum deles é insatisfeito, NENHUM É ENLOUQUECIDO PELA MANIA DE POSSUIR COISAS; nenhum se ajoelha para o outro, nem para os que viveram há milhares de anos; nenhum deles é respeitável ou infeliz em todo o mundo."

    Posted on quinta-feira, 02 outubro, 2008

     
  7. Carol Campos Said,

    Primoo!
    Só tive tempo pra ler teu blog hoje!

    Ameiiii
    Show de bola mesmo!

    Beijo
    Amo vc
    saudades

    Posted on sábado, 04 outubro, 2008

     
  8. lays Said,

    Concordo Thi! As pessoas hj em dia estão perdendo os seus valores apenas para ter "posses", pela vontade de ter sempre mais! É por esse e outros motivos que o mundo está assim, tão embrutecido.. sem valores, sem respeito..
    Beijos!

    Posted on segunda-feira, 06 outubro, 2008

     
  9. thayza Said,

    Através do seu texto "os pecados capitaos" o qual li, pude perceber que a avareza tem uma incrível semelhança ao cíume, somente tratam de coisas diferentes, mas o "pecado" é muito parecido.
    Devo parabenizá-lo pelos textos, que mostram o quão és "poderoso" (lembra do que te falei?).

    Bjusssss...
    e obrigado pelos momentos de reflexão!

    Posted on segunda-feira, 06 outubro, 2008

     

Postar um comentário